O Brasil possui uma irradiação solar média anual muito superior à da Europa, onde se encontram sete dos quinze maiores produtores de energia fotovoltaica do mundo. Mesmo com esse gigantesco potencial, esse tipo de geração, que, em muitos casos, pode significar autonomia energética, é pouco utilizado no país. Isso se deve em boa medida ao desconhecimento sobre seu funcionamento, sobre seu uso como fonte principal ou auxiliar de energia, quais os modelos mais adequados para cada tipo de estabelecimento e seus principais benefícios, como a redução de custos. Quanto a este último tópico, sempre, independente do modelo, é um investimento que se paga em um curto período de tempo.

Qualquer sistema de energia fotovoltaica contará com painéis solares, cabos, estrutura de suporte, inversores e controladores de cargas. No caso dos sistemas Off Grid, que operam sem conexão com a rede comercial, há também um conjunto de baterias. Essa característica torna-o a solução ideal para estabelecimentos que operam em regiões isoladas, como fazendas e frigoríficos, embora também seja largamente utilizado por indústrias. De acordo com a incidência de irradiação solar, do número de painéis e do consumo energético, podem proporcionar autonomia completa. Quando não há incidência de luz, as baterias garantem o fornecimento por períodos de até doze horas.

Outro sistema é o On Grid, que opera conectado à rede comercial. Por estar sujeito a quedas no fornecimento das operadoras, demanda o uso de grupos geradores para que não haja interrupções.

Ambos os sistemas permitem a conexão com a rede pública, o que possibilita a comercialização do excedente gerado para as concessionárias. Outra vantagem econômica é que o investimento na compra dos equipamentos e instalação do sistema pode ser financiado tanto por bancos quanto pelos fornecedores, possibilitando que a economia gerada pela instalação permita que ele se pague. Mesmo quando o consumo é elevado, os sistemas fotovoltaicos podem garantir a autonomia energética. Nesses casos, a geração é fator determinante. Ela estará diretamente relacionada à área de que o estabelecimento dispõe para a instalação dos painéis solares. Isso o torna ideal, por exemplo, para supermercados, por conta dos tamanhos dos galpões que ocupam. Já em Shoppings Centers que possuem estacionamentos abertos, é possível fazer uma cobertura inteira de painéis solares.

A TEG Energia é uma empresa especializada em energia solar e conta com profissionais habilitados capazes de encontrar a melhor solução em energia solar.

 

 

Como garantir energia ininterrupta

Como garantir energia ininterrupta

Toda atividade econômica depende do fornecimento de energia elétrica. Para algumas, porém, as menores interrupções ou variações de tensão têm resultados críticos. No varejo ou setor de alimentos, a queda no abastecimento da rede comercial pode levar ao descarte de produtos; na indústria, perda e paralisação da produção e prejuízos com maquinário; na área de TI, particularmente quando aos data centers, que demandam cargas críticas, perda de dados.

Falta de energia ou oscilações de carga têm impactos variados em diferentes setores. A questão para as empresas é garantir a estabilidade necessária às suas operações. Quando a questão é não ficar sem energia, caso de hospitais, varejo ou eventos, os grupos geradores são essenciais. Podem servir tanto como fonte principal como auxiliar para qualquer tipo de empreendimento, de todos os portes, ou aplicação. Os grupos geradores transformam a energia mecânica produzida por um motor a combustão em eletricidade.

Os projetos variam de acordo com as necessidades do cliente. Além de atenderem a diferentes demandas quanto à potência, são usados, basicamente, em emergências, como queda no abastecimento de concessionárias, como garantia de suprimento para operações que não podem ser interrompidas e até mesmo para economia, pois acabam por resultar em custos significativamente menores do que o uso do fornecimento comercial em horários de pico. Por serem a garantia de que a atividade não será paralisada por desabastecimento, é sempre necessário manter os geradores em condições adequadas de uso, com a realização periódica de manutenção preventiva.

Algumas atividades, particularmente as que dependem do uso de equipamentos eletrônicos, demandam, além da garantia de fornecimento ininterrupto, estabilidade de carga. É o caso de segmentos como TI, laboratórios e indústrias. Nesses casos, a solução ideal é um sistema nobreak, que impede a oscilações e garante, por determinados períodos, o fornecimento de energia, por meio do uso de baterias. Porém, como tem capacidade de abastecimento limitada, o sistema serve para que, quando ocorra falta de suprimento de energia, os aparelhos sejam desligados de maneira adequada. Para que haja garantia de que a falta de energia não paralisará as operações, deve-se combinar o nobreak com geradores.

Conte com a TEG para apoiar sua empresa.

 

 

.Plano de Manutenção em Grupo de Geradores de Energia

Um Plano de manutenção em gerador de energia elétrica pode ser feito tanto quando o equipamento está funcionando normalmente e ainda não apresentou defeitos, afim de preservar e até otimizar o seu funcionamento, como pode também ser usado na hora de avaliar o que pode estar acontecendo com o grupo gerador que já apresenta defeitos e mau funcionamento. Geralmente é composto por uma série de tarefas que o técnico deve aplicar para constatar possíveis causas de panes ou agravantes que podem vir a danificar alguma peça ou o conjunto completo dos grupos geradores. Saiba mais aqui

Muitas instalações de geradores de energia, podendo ser de gasolina, diesel ou até mesmo a gás, podem ser realizadas de forma incorreta, colaborando para a deterioração ou sobrecarga dos geradores. Por isso a manutenção preventiva de gerador é muito importante. Com ela, o equipamento acaba correndo menos riscos de vir a ter falhas técnicas e exigir o conserto de geradores com altos custos, o que acaba causando transtornos em função da inatividade do equipamento que é de alta necessidade na maioria de suas aplicações.

Claro que qualquer tipo de avaliação ou manutenção de geradores, de qualquer tipo de potencia, combustível ou aplicação, não pode ser realizada por qualquer pessoa.
É de alta prioridade que o equipamento seja avaliado e reparado por um técnico especializado ou engenheiro, ambos com larga experiência no tipo de motor, por ser um equipamento com alta complexidade de funcionamento.

Os principais fatores avaliados nesse tal plano de manutenção de grupo gerador geralmente se resume no nível de produção de energia que o equipamento está desenvolvendo, a integridade e o estado das peças e componentes do motor, se existem sujeira e resíduos nos tanques de combustível, filtros e em outras partes do motor e o tempo que ele consegue fornecer energia até precisar de combustível novamente.

Vamos mostrar uma lista detalhada de um plano de manutenção de grupo geradores:

1- Parte Mecânica:

Nessa etapa é feita uma profunda avaliação da parte principal dos grupo geradores, o motor. Devemos conferir primeiramente o nível em que se encontra óleo de lubrificação do motor, levando em consideração o tempo entre a ultima troca. Caso o tempo seja mais curto que o comum, pode se constatar que existe algum vazamento de óleo ou sobrecarga do motor que está resultando no desperdício do lubrificante. Mesmo se esse não for o caso, é muito importante verificar de forma profunda se existe algum vazamento tanto do óleo quanto de água.

Depois é realizada a avaliação do regulador eletrônico de velocidade, que é o acelerador, também verificar o se já existe o desgaste das correias do motor, o alternador, o motor de arranque e terminais.

2- Sistema de Arrefecimento:

Agora nessa segunda etapa do plano de manutenção de equipamentos geradores de energia, devemos verificar o nível de água do radiador, também levando em consideração a data da ultima vez em que foi colocado água no equipamento e verificar se não existe nenhum tipo de vazamento ou obstrução no radiador. Em seguida verificar a válvula termostática para avaliar a abertura e se existe algum mal funcionamento. Logo depois, deve se voltar a atenção para as mangueiras, a procura de algum ressecamento ou deterioração que possa vir a causar algum vazamento e se caso encontrar, realizar a substituição imediata antes de utilizar o grupo gerador. E por ultimo a bomba d’água e a hélice do radiador.

3- Sistema de Combustível:

Essa é uma das partes mais importantes na manutenção preventiva de geradores, pois com ela podemos evitar grandes investimentos em reparos e também grande economia de combustível, levando em consideração a otimização que pode ser feita. Primeiramente verificamos se a bomba injetora está realizando a ligação corretamente, entre o tanque e o motor, depois verificamos o turbo, o sistema de refrigeração e exaustão e todas suas partes como duto, tubulação de escape e novamente verificar com atenção a existência de algum vazamento.

4- Sistema elétrico:

Esse é um dos sistemas que mais podem vir a dar algum tipo de problema e exigir reparos. Nessa parte conferimos se o alternador sincrônico está funcionando corretamente em relação ao regulador de tensão. Também é avaliada a integridade dos cabos e conectores de todo sistema elétrico dos geradores de energia e dos disjuntores de proteção. Depois dos barramentos e bornes de ligação.

5- Painel de Comando:

Independente se o painel de comando de um gerador de energia elétrica for analógico ou digital, sua manutenção preventiva deve ser realizada periodicamente para evitar problemas de mau funcionamento do equipamento. Verificamos os chicotes e fazemos o reaperto dos mesmos e verificamos a integridade e vida útil da bateria e dos carregadores.

6- Filtros:

Outro fator capaz de influenciar na vida útil e maior aproveitamento de um grupo gerador, é a limpeza e integridade de todo o conjunto de filtros que ele contem. Deve ser avaliado o tempo de uso de cada um deles para saber se é necessária a substituição dos mesmos ou se eles estão sujos. Segue a lista de filtros a serem verificados:

  1. Filtro do Combustível
  2. Filtro de ar
  3. Filtro de água
  4. Filtro lubrificante
  5. Filtro separador ( Verificar o se existe acumulo de água e nesse caso realizar a drenagem)

7- Ambiente:

Depois de verificar todos esses itens, devemos agora esquecer o grupo gerador e voltar a atenção para o ambiente onde o mesmo está instalado. É preciso levar em consideração se o lugar é seco ou se tem algum tipo de umidade e maresia que possa reduzir a vida útil dos componentes, se o local é limpo e livre de resíduos ou poeira, se o local é de livre acesso ou seu nível de restrição, e a limpeza do grupo gerador.

8- Testes:

Depois de testar parte por parte de todo o gerador, iremos testar o funcionamento em conjunto de todo o grupo gerador. Inicialmente realizamos os testes ligando o grupo gerador com baixos ou sem nenhum nível de carga e ogo depois fazemos o contrário, testamos o grupo gerador com alto níveis de carga. Também realizamos testes simulando a possível queda repentina de energia.

Conclusão

Esse é um plano de manutenção de geradores de energia muito usado na prevenção de equipamentos de potencias médias ou elevadas. Ressaltando que esses procedimentos devem ser feitos por um profissional certificado e habilitado, sempre levando em consideração as indicações do fabricante do grupo gerador e da montadora do motor.

A manutenção preventiva de geradores tem sido uma solução muito bem recebida em várias aplicações, pois pode reduzir gastos e evitar problemas com a falta de energia elétrica.

Trabalho de manutenção em máquina parada

Uma parada de manutenção técnica em geradores de energia exige atenção ao evento por tratar-se de um momento em que sua operacionalização exige algumas atividades fundamentais que proporcionarão o sucesso deste evento.

A execução dos serviços e atividades devem ser realizadas por mão de obra especializada contando com a participação de engenheiros, mecânicos além da utilização de serviços de apoio complementarem como a contratação e montagem de andaimes e remoção de equipamentos, por exemplo.

O planejamento dessas atividades inicia-se com meses de antecedência adentrando ao evento bem como existirão atividades posteriores ao evento que permitirão sua conclusão com sucesso.

As etapas a seguir devem ser elaboradas e seguidas de acordo com um cronograma rigoroso onde seu responsável formará equipe adequada incluindo fornecedores e colaboradores para que se obtenha o melhor resultado.

Dependendo da complexidade do evento a fase de planejamento inicia-se com meses de antecedência reunindo as informações e os dados para formar um macro planejamento o qual fornece a dimensão da parada. Nessa fase que tem de ser iniciado o planejamento e o detalhamento das manobras operacionais, analisando e reconhecendo os riscos, análise e identificação das medidas de controle para os riscos evidenciados, bem como os planos de contingências em casos de ocorrências.

Com a evolução do macro planejamento para o micro, detalhado, ocorre a consolidação das diversas informações e atividades. Neste momento do planejamento serão confirmados os prazos e os custos previstos bem como iniciada a contratação para execução dos diversos serviços, bem como das atividades e meios que darão suporte a execução da parada, tais como os serviços de infraestrutura.

A fase de execução da pré-parada deve ser utilizada para verificação das ações previstas no planejamento, a criação de meios para execução dos serviços que estão previstos, a consolidação e validação dos procedimentos operacionais, o início dos treinamentos da equipe que fará parte deste evento.

A fase denominada parada pode ser entendida como a realização do evento em toda a sua plenitude. É de fundamental importância que a equipe esteja engajada, assim os objetivos traçados e o resultado desejado terá maior probabilidade de serem atingidos. Seu constante acompanhamento permitirá o redirecionamento de ações ou redimensionamento dos recursos, caso seja necessário. Além de uma parceria muito estreita entre os segmentos de operação, manutenção e engenharia, que tem de ser comprometidos, para que os valores de Gerenciamento do Sistema de Segurança, prazos, custos e a qualidade desejada seja alcançados, o que permitirá o retorno do processo produtivo dentro do planejado.

A fase pós-parada é aquela que ocorre após as fases de condicionamento e partida e consequentemente do retorno produtivo.
Ao término do evento é importante que seja feita uma avaliação detalhada para cada etapa do processo para que se identifique intervenções propondo melhorias contínuas em cada etapa do evento.

Tipos de parada de manutenção técnica

Parada de Manutenção Técnica Programada

Empresas que trabalham com sua programação de produção dentro de um formato a atender alto desempenho não podem parar por falhas não previstas ou deve trabalhar para reduzir ao máximo esse risco. Identificando possíveis problemas futuros, bem como indícios de desgastes e deterioração que poderão limitar o bom funcionamento da máquina e diminuir sua vida útil, este tipo de manutenção melhora o desempenho da máquina, além de evitar prejuízos e transtornos em detrimento de uma parada inesperada na produção.

Manutenção prevista com a intenção de reduzir a probabilidade de falha de máquinas ou equipamentos, ou ainda a degradação de um serviço prestado. É uma intervenção prevista, preparada e programada antes da data provável do aparecimento de uma falha, ou seja, é o conjunto de serviços de inspeções sistemáticas, ajustes, conservação e eliminação de defeitos, visando a evitar falhas que comprometam as atividades produtivas de uma empresa.

A parada de manutenção técnica programada pode ser realizada em conformidade com um cronograma ou com índices de funcionamento das máquinas ou equipamentos. Normalmente, o período de revisão é baseado em históricos ou recomendações do fabricante. Enquadram-se nessa categoria as revisões sistemáticas do equipamento, as lubrificações periódicas, os planos de inspeção de equipamentos e os planos de calibração e de aferição de instrumentos. Devido à desmontagem do equipamento para revisão, alguns componentes são substituídos antes do fim da sua vida útil, e componentes substituídos apresentam falhas prematuras ou falhas de montagem.

A manutenção preventiva por tempo é aquela em que os serviços preventivos preestabelecidos através de programação (preventiva sistemática, lubrificação, inspeção ou rotina) definidas por unidades de calendário (dia, semana) ou por unidade não-calendário (horas de funcionamento, quilômetros rodados, etc.).

A prevenção preventiva por estado são os serviços preventivos executados em função da condição operativa do equipamento (reparos de defeitos, preditiva, reforma ou revisão geral, etc.).

 

Parada de manutenção Técnica Emergencial

Uma manutenção emergencial consiste em uma operação de substituição de peças ou componentes que se desgastaram ou falharam, no qual geralmente resultaram em problemas na linha de produção da empresa.

Essa situação gera um custo operacional maior para as indústrias, devido à necessidade de finalização do processo o mais rápido possível. Nessa situação as horas extras da equipe de manutenção são grandes, o maior desgaste físico e mental resulta em condições desfavoráveis de trabalho.

Em uma manutenção emergencial os custos são onerados devido à fadiga do conjunto e fogem totalmente da programação gerando surpresas e descontrole sobre os equipamentos além da diminuição de sua vida útil.
Além dos custos gerados pela operação, horas extras entre outras, também devemos considerar os custos da produção parada onde existem contratos a serem atendidos, multas a serem pagas podendo gerar transtornos comerciais além dos custos financeiros.

Por que usar um grupo de gerador de energia em uma parada de manutenção técnica?

Atualmente, as atividades produtivas são possíveis porque a energia elétrica é a maior fonte de calor e energia e para que essas atividades não sejam interrompidas, é muito importante gerir corretamente a manutenção dos equipamentos da empresa, sendo que o planejamento deve primar pela excelência dos serviços realizados e continuidade da produção. As intervenções devem ocorrer preferencialmente com planejamento em períodos pré-estabelecidos, cuja finalidade é a realização de uma manutenção preventiva em equipamentos ou sistemas.

A melhor solução de fornecimento de energia contínua e ininterrupta durante a parada programada de manutenção de rede elétrica é a utilização de grupos geradores de energia elétrica. Os grupos de geradores podem substituir total ou parcialmente o fornecimento de energia elétrica durante a execução da parada programada de manutenção oferecendo conforto evitando transtornos.

Essa ação evita a interrupção da linha de produção em indústrias durante todo o evento podendo gerar, em muitos casos, economia do custo da operação, pois a energia elétrica produzida pelos geradores de energia possui um custo menor do que a fornecida pela concessionária em horários de ponta.

 

Alguns Motivos para se pensar na substituição do fornecedor do Gerador de energia.

É importante trabalhar em conjunto com os fornecedores.

Substituição do fornecedor de energia, é necessário as vezes se pensar nisso. Para entregarmos nossos produtos ou serviços com excelência diariamente, trabalhamos em conjunto com parceiros comerciais chamados de Fornecedores.  Os fornecedores não são apenas quem produz, fabrica ou entrega serviços.

Podemos dizer que o fornecedor é uma peça fundamental para o sucesso ou fracasso em muitas organizações.

Existem diversos motivos para a reavaliação e substituição de um fornecedor de energia. E então fica a pergunta, quando devo reavaliar e mudar de fornecedor?

Após uma falha? Quando você está insatisfeito com a qualidade do seu fornecedor habitual? Quando você receber uma proposta mais atraente? O fornecedor lhe atende prontamente quando necessário? Os custos estão dentro do praticado pelo mercado?

Qualquer um desses motivos pode ser uma razão convincente para a mudança. O olhar do comprador e responsável pela mudança deve ser sistêmico e observar critérios que possam influenciar nessa tomada de decisão.

Essa relação é muito importante e não podemos enxergar o fornecedor como um mero entregador de produtos ou serviços.

É preciso dar chance a novos fornecedores, quando se achar necessário uma mudança.

Porém, é preciso pensar na substituição do fornecedor de energia, dar a chance a outros fornecedores pode ser saudável se seguir critérios que mantenham ou melhorem o padrão de qualidade do que é ofertado atualmente.

A Avaliação é importante quando você seleciona um novo fornecedor?

Não é importante, ela é fundamental. Dentre os critérios estabelecidos como necessários para uma boa relação como fornecedor, estabeleça os de maior peso e o avalie constantemente.

Pode-se usar o aparente problema como uma oportunidade de referenciar os seus custos operacionais e competência.

A reavaliação do contrato, o momento econômico em que atravessamos pode também ser uma ótima oportunidade de revisão dos atuais contratos.

Tratando-se de Geradores de Energia Elétrica o momento é oportuno para avaliar um novo fornecedor considerando redução de custos, um novo dimensionamento e estrutura para fornecimento de energia secundária.

Novas tecnologias são apresentadas com frequência e aplicadas na montagem de Geradores o que proporciona economia no consumo do combustível. São frequentes operações onde o consumo de combustível supera, e muito, o valor da locação do gerador.